quarta-feira, 30 de abril de 2008

PERCEPÇÕES

Tateava a procura de uma identificação que pra ele criaria a imagem perfeita da pessoa. Suas mãos escorriam de um lado pra outro da face, como a moldar uma obra de arte. Chegou mais perto, sentiu o perfume de madeira que exalava e, suavemente, marcava sua personalidade. Ajeitou-se na cadeira, depois de alguns minutos a procurá-la no centro da sala. Não precisava de ajuda. Sabia se virar melhor do que muitos os que ali estavam, a enxergar. Ouviu sua voz feminina e com um sorriso comentou "-ela é linda!" Mas não era a voz, era a imagem que ele havia construído da pessoa que encontrava-se próxima.

Seus braços possuíam uma delicadeza. Eles tinham movimentos suaves, receiosos de esbarrar, em algum momento, um objeto que não estivesse em sua mente. Ele arquivara o sofá, a cadeira, mesinha, ao entrar nessa sua nova sala.

Seu rosto era calmo, apesar dos olhos murchos estarem agitados constantemente. Se pudesse enxergar, talvez constrangesse com tantos curiosos a olhar-te, em seu redor. Sua calma era o reflexo da sua concentração em sentir o ambiente. Sabia quem, ali, estava nervoso, quem estava impaciente e quem estava ali para examiná-lo. Conseguia saber até quantas pessoas passeavam pelos corredores.

Ingenuidade. Todos gostaram de seu sorriso espontâneo e suas respostas sinceras e simples. Talvez fosse mais fácil falar a verdade sem enxergar a cara da mentira, sem poder ver a expressão facial contrariar o que a boca diz.

Para aquele garoto, o mundo tinha apenas uma cor. E não era a da escuridão. Era algo mais positivo e mais otimista do que se esperava. Por ele não ter conhecido a luz, ele fazia com que ela brotasse dentro dele.

Diante de uma pergunta meio complexa, ele disse como se imaginaria em uma sociedade com olhos. Falou da beleza, por ele expressada nos tons de voz, peles macias e cheiros agradáveis. Ele tinha isso, e se achava muito belo, a gargalhadas e corado. Também possuía um dom, o de definir personalidades. Alguns minutos escutando e ele desandava a falar qualidades e defeitos de cada um. Nada que aprendesse em livros.

Olhava-o com um carinho protetor. Temia entregá-lo ao mundo. Não por ele ser cego, mas por enxergar... com a alma.

35 comentários:

daniel disse...

Olá Auréola Branca

Um conto e um cego, um tema talvez não muito fácil de abordar, mas acho-o bem conseguido.

Saudações
Daniel

pin gente disse...

tantos olham ser ver, sem observar
poucos conseguem ver sem olhar, de olhos fechados
a pureza da alma e do olhar


abraços

Chuvinha disse...

Nós " perfeitos" muitas vezes não enxergamos o belo que existe dentro de cada pessoa. Nossos olhos, corrompidos pela mídia não são, na perfeição que possuem, capazes de ver a alma das pessoas.

Dama de Cinzas disse...

Acho legal esse jeito de escrever descrevendo o lugar e as pessoas! Texto bonito!

Beijos

Isabel-F. disse...

Belissimo este teu texto ...

os meus sinceros parabéns por ele ...

sem dúvida que a capacidade de se ver com a alma é bem superior à de se ver só com os olhos...

beijinhos e bom fim de semana

Maria Clarinda disse...

Lindooooo! Nas entrelinhas está tudo...Esta frase marcou-mne profundamente...
(...Não por ele ser cego, mas por enxergar... com a alma.


Jinhos mil

jo ra tone disse...

"como se imaginaria em uma sociedade com olhos"
Auréola Branca
Penso que este menino passado algum tempo pediria para continuar cego.
Porque nesta sociedade em que vivemos todos andam de olhos "bem abertos", e não vemos nada, cometem-se as maiores barbaridades,
assim o mundo dele é bem mais diferente, mais belo
Bonita reflexão

jasmimdomeuquintal disse...

"Olhava-o com um carinho protetor. Temia entregá-lo ao mundo. Não por ele ser cego, mas por enxergar... com a alma"
felizes os que enxergam com a alma.
Bom fim de semana

Bianca Rieth disse...

Que lindo. Nessas pessoas há uma sensibilidade incrivel, elas nao podem ver, mas sente, cultivam e percebem muitos mais coisas que nós....a alma os fazem ver!!

lindo, lindo..e a imaginacao completa...

beijos

Eremit@ disse...

ai é bem complicado é. Alguém que enxergue e fale com a alma, cego dos olhos da cara, ou não, encaixar -se neste nosso mundinho.
Mas vim dizer-te que tens um desafio no Eremitério.
Fraterno abraço

J L disse...

«A sensibilidade de um olhar é a coisa mais importante na construção de indivíduos.»

Um beijo.

Mary West disse...

Q tocante seu texto, uma delicia de ler, tenho certeza q ele naum gostaria de ser protegido, as vezes é bom aprender mesmo com as quedas mais duvidosas. ;**

Adri /Dri /Drika disse...

Voce escreve muito bem, parabens... Tenha um otimo fim de semana Bjoka ;)

Nadja disse...

Muito interessante teu blog! =)

jasmimdomeuquintal disse...

Vim desejar um feliz domingo.
Tinha deixado um comentário mas pelos vistos não ficou...
Detesto esta parte d aconfirmação das letras (mas não é por isso que deixo de comentar...)
bjocas

Agulheta disse...

Querida amiga.
Neste dia tão especial para nós mulheres e (Mães) venho deixar um beijinho de amizade e gratidão Lisa

Bandys disse...

Querida,
quem enxerga com a alma enxerga longe. Os sentidos são todos mais aflorados. Enraizados.
"Também possuía um dom, o de definir personalidades. Alguns minutos escutando e ele desandava a falar qualidades e defeitos de cada um. Nada que aprendesse em livros." Instintos e sentimentos não se parende em livros e sim na vivencia do dia a dia.
Ficou lindo a rosa...lindo!
Qualquer hora trago outro presentinho pra voce. hahahaha
Beijo minha linda, e uma otima semana

Gerlane disse...

Lindo! Perfeito! Como escreves bem, garota!
E a música também é bela!

Uma boa semana, beijos!

O Árabe disse...

Na imaginação e na realidade, todos os dias encontramos pessoas que nos fazem repensar o mundo. E este é um dos encantos da vida! :)

O Pinoka disse...

Um texto 5 estrelas. Gostei muito.
Beijinhos

Pena disse...

Simpática Amiga:
Que coisa tão linda escreveu. É como possuir um brilhosinho no olhar. Doce. Atento. Muito lúcido e permanente.
Um "Rapazinho" de sonho.
Como escreve tão bem, deliciosamente.
Gostei muito de ler.
Ainda há Seres Humanos perfeitos. Você!
Beijinhos amigos de encanto

pena

Mario Rodrigues disse...

Uma história? Uma realidade? Seja o que for.Muito bem escrito e adorei ler. Faz-nos pensar, muito!

"Amigos são como como o vento.
às vezes perto, outras longe,
mas eternos em nossos corações"

Uma optima semana

Abraço amigo

Mario Rodrigues

Pedro M disse...

Olá Auréola,

Ainda bem que você aprendeu a olhar com os olhos e a ver com a alma. Gostei muito do seu conto.

Um beijo

Bandys disse...

Viver...é chegar onde tudo começa!
Amar... é ir onde nada termina! ♥
♥ Viva...Como se fosse cedo!
  Reflita...Como se fosse tarde! ♥
   ♥ Sinta o que você diz... Com carinho!
Diz o que você pensa... Com esperança! ♥
 ♥ Pense no que você faz...Com fé!
Faça o que você deve fazer... ♥

Beijos

Carla disse...

Amiga
emocionei-me com a beleza das tuas palavras
boa semana
beijos com alma

Sérgio Figueiredo disse...

Querida Amiga,

Puxa...

tens de acreditar, porque é só uma simples verdade.

Li e reli mais duas vezes.

Não porque estivesse difícil de perceber/compreender. Apenas porque a satisfação em ler este teu post, cresceu, desalvoradamente, dentro de mim e em vez de dizer, melhor, ter pena deste rapaz, tive sim uma enorme alegria em apreciar o seu pensar e maneira de viver. Foi uma verdadeira aula de, como se "É Feliz", apesar da infelicidade que o injustiçou.

Importante as sábias palavras de dão expressão a este post.

Parabéns e Beijo Amigo

herético disse...

agradeço a tua simpática visita.
devo dizer-te que gostei muito do teu blog. voltarei sempre.

O Sibarita disse...

Ô fia! E tem coisa melhor que enxergar com a alma?

É por isso que os deficientes visuais são mais sensíveis e conhecem muito mais as pessoas do que nós que enxergamos...

Carl Jung disse há muito tempo: "O que está dentro, está fora" dai..

Belo texto.

bjs
O Sibarita

Dias disse...

Incrivel o post, infelizmente a sua riqueza dificilmente retirará o rotulo aos conteudos e para suplantar os rotulos é necessario mais que alma e temor.

Beijo

João Videira Santos disse...

Com a percep�o dos sentidos, cheguei voando...Poisei e li o que as palavras ofereciam. Li, meditei e parti...Um dia, no acaso, regressarei. Valeu?

Angel of Light disse...

Devemos olhar sempre com os olhos do nosso coração, da nossa alma!

Obrigada pela visita ao meu reino. Gostei muito. Também gosto muito do belíssimo espectaculo que o Sol nos proporciona, através das auroras boreais, mas nunca vi nenhuma ao vivo. Não perco a esperança, pois sei que, um dia, ainda vou estar lá, ao pé do Sol, a saborear a sua performance.

Volta sempre.

Beijinhos de Amor, Paz e Luz!

poetaeusou . . . disse...

*
conto cego,
com largos olhares,
,
esclarecidas conchinhas, deixo,
,
*

Sorrisos em Alta disse...

Muito bonito.

E eu também não devo estar a ver bem, pela homenagem do selo aí ao lado!!!
;o))))

Beijos sorridentes

Éverton Vidal disse...

Oi Auréula! Estou numa grande correria aqui, mas vim pra dizer que li e achei lindo o conto, me lembrou uma célebre frase daquele maravilhoso livro O Pequeno Príncipe: "o essencial é invisível aos olhos".

É porque o essencial, as essenciais se vèm com outros olhos.

BJ.
Inté!

Odele Souza disse...

Auréola,

É um prazer ler este teu belo texto.

Um abraço.