sexta-feira, 7 de novembro de 2008

ELOS PERFEITOS

Ele ainda permanece.

Ele ainda está em mim, naquela tarde onde tudo o que sentia era sua raiva cortando-me por dentro. Aqui, ele permanece pra mostrar-me que fui tola em provocar-te.

Mas ódio não é amor ferido? Então, por que não enxergas como eu?


A cortina sobrevoando a cama azul. Uma brisa leve camuflava o calor de uma tarde de verão. Havia tantas imperfeições naquele lugar: Um violão sem duas cordas, um cômodo sem divisões, um sofá sem altura, e ele, a me olhar no meu roteiro investigativo.

Procurava tão somente uma ordem lógica para aquilo tudo. Voltar a um lugar tão confuso em minha mente seria suicídio para metódicas como eu.

Desde quando precisei estabelecer uma sequência de bem-estar? Desde quando fazer amor necessitaria de uma cama de casal, com lençóis de seda? E o vinho precisaria mesmo ser servido em taças de vidro? Para mim, evidências de um crime perfeito eram desastrosas.

Todavia... nunca desobedeci regras. A vida vinha pronta, e eu precisaria apenas viver. Nunca fui a revoltada do mundo. Nunca lutei por meu espaço dentro do elevador... Por achar tudo tão perfeito, não contribui com a minha marca e nem deixei minha assinatura em livros.

Mas, nos detalhes lembrados daquela tarde, pude entender que imperfeição é uma fuga de nossa vontade, quando o mundo diz não para o que queremos.

A confusão não estava ali, mas DENTRO DE MIM.

7 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Cara amiga, acho este seu texto fabuloso.
"A vida vinha pronta..."
O quanto esta pequenina expressão dá para reflectir. E muitas outras expressões que me dispenso de repetir, mas que fazem deste seu post um momento de leitura muito agradável.
Beijinhos.

Paradoxos disse...

atrevidamente - dentro das tuas palavras!!!!

amiga

Edu

luzdeluma disse...

Não podemos pensar que perdido, perdido está! Esqueça os erros. Beijus

O Árabe disse...

E alguma vez, amiga, esteve ela em lugar diferente? O que nos toca é apenas aquilo que está em nós! sempre. :)

Fernando Amaral disse...

A imperfeição é a perfeição ao avesso. E escrever ajuda a alma a entender... a alma.

Que bom que voltou.

jo ra tone disse...

É compreensível o estado confuso quando algo não corre da melhor maneira na vida de cada um.
Uma introspecção muito emotiva mas
triste aqui representada.
Tudo é poesia.
Bjo

Zek disse...

Há tempos que não te lia, acho que vivo fugindo então.... afinal o mundo só diz não as minhas vontades!