sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

À MINHA AVÓ QUERIDA.

Paralisada ali, já não parece mais um ser humano. Lançada sobre a cama, com seu corpo movendo-se somente pela respiração, ela segue. Quão pessoa ela deixou de ser?

O tempo é malvado com todos. Invade nossas mentes e deixa nossos corpos flácidos e apagados. Nossas mãos, outrora delicadas e macias, deixam para trás toda a flor da idade que um dia fizera diferença.

“-Você gosta de mim?”- Perguntara sem saber ao certo quem estava a segurar seu copo de leite. Já não mais levantava da cama, e sua refeição era sem açúcar por causa dos problemas de saúde. Talvez o doce que lhe tiraram fosse o mais precioso tesouro que ela sustentou da vida.

Se pudéssemos escolher, certamente não escolheríamos ficar nus na frente de filhos e netos. Nossos pudores seriam ricamente reforçados com o orgulho do poder se arrumar sozinho. Mas, a uma certa idade, não lutamos contra àqueles que querem nos limpar. Talvez nem nos importemos em cheirar mal ou arrumar o cabelo. Tudo é um imenso vazio e sem sentido.

Sua estória de vida emociona muita gente. Sua garra em sustentar filhos e ver nascer bisnetos impressiona os menos crentes em transformações. Mas, onde estará sua fibra? Onde estará sua força?

O maior sofrimento é vermos quem gostamos sofrer. Daríamos a vida para aquela pessoa não passar por tudo isso. Mas não adianta. Só há um remédio para quem sofre: esperança. Contudo pessoas pisam no verde, antecipadamente.

Entregou-se à morte faz tempos. Desde jovem. E se Deus fosse ruim e maldoso, certamente teria levado-a embora nos dias que desejava morrer, por simplesmente odiar estar vivendo. Sempre fora triste, introvertida, melancólica. Viver, para ela, era castigo. E agora, com 87 anos, não há mais consciência. Não tem tempo de se arrepender de ter renegado tantos momentos bons.

Ela está partindo... Primeiro os músculos atrofiaram, depois a mente não responde. Onde estou nisso tudo? Como posso afirmar que a amo se ela nem me reconhece? Não suporto vê-la partir sem nossas lembranças. Mesmo sendo a neta que ela nunca gostou, fui eu quem a protegeu. E sou eu quem, hoje, sofre pelo seu sofrimento.

“-Vó, estou aqui...”

11 comentários:

paradoXos disse...

Talvez ela tenha gostado de ti mas não soube demonstrar da melhor maneira. A idade vem e nos vai levando. Tens sido uma lutadora na luta dela. Partilha a tua esperança com ela mesmo que seus sentidos estejam anestesiados.Muita coragem e fé querida minha amiga! Teu beijo

Heduardo

jo ra tone disse...

Auréola Branca,
Face ao que está acontecendo na tua vida, lamento o teu sofrimento, mas uma "vóvó",mesmo que superficialmente não tenha demonstrado gostar, no seu íntimo gosta sempre dos seus netos.
Bjo
Bom fim-de-semana

São disse...

Nós nunca sabemos a escolha de outrém , meu bem.
Um abraço solidário nesta hora dolorosa.

loira mexicana disse...

Fiquei feliz por sua visita!A mel também até comentamos...Então vai beijos em dose dupla pra vc e boa semana gatona!

O Árabe disse...

Clichê, talvez, mas acredite: ela não é a que os olhos vêm, mas a que você consegue sentir...

Estrela do Sul disse...

Pois é, amiguinha.
Tens que ter paciência e resignação.
Mas no fim , ficará a satisfação do Dever cumprido. E tambem as recordações.

Uma linda semana

Bjinho amigo

Mario Rodrigues

Ela disse...

quero te mandar um abraço de carinho.
Sabe... algumas pessoas vem para esta vida para cumprir uma missão. Ou melhor, todas nós viemos !
Te desejo paz e luz

Hands of Time disse...

O vosso amor e acrinho fará toda a diferença! :(

Mario Rodrigues disse...

Olá amiguinha.

Passando para desejar

Um lindo fim de semana

Bjinho amigo

Mário Rodrigues

O Árabe disse...

Passando para lembrar que os amigos também estão aqui. Sempre. Boa semana.

Anônimo disse...

uuuiii...
este fez com que chora-se...talvez porque recordei uma biavo que gostei muito e sei que ela tambem gostou muito de mim...decerto que a sua avo gostou muito de si..nao soube foi demostrar...ela poderia nao ter memoria quando se foi...mas talves ela soubesse que voce estava ali...a ajuda-la...a partilhar com ela seus ultimos tempos ..no meu caso é assim que eu penso...e quero pensar, e acredito que ela soube que era eu...acredito que ela me reconhecia...mesmo que nao mo disesse...que sabia que era eu que lhe dava a mao e chorava...

recordá-la-ei para sempre:)sei que ela partiu..mas onde quer que esteja está a olhar por mim...é certamente o meu anjo da guarda...

desculpe pela invasão...e por nao saber transmitir tao bem como voce meus sentimentos...