sábado, 18 de outubro de 2008

PROVA DO (DES)AMOR

Todos buscam viver uma obra de Shakespeare...

Procurava no seu olhar um pouco de carinho. Procurava em sua boca um sorriso. Procurava na sua pele o acolhimento que sempre fora teu refúgio. Romeu e Julieta.

Por dias tentou tê-la novamente, parcialmente, unicamente para ele.
Por dias, guardou-a somente em si, como um objeto frágil e delicado.
Julieta era dele, desde o momento que o conheceu. E a isso ele nomeava de amor. Um grande amor televisionado nos tempos atuais.

Mas esse Romeu era diferente, confuso, e alimentava um sentimento de poder diante de toda cena. Não cortejava, ameaçava. Não existiam carícias e sim palavras de ódio. Na mão, a arma substituía o veneno. Temia invasões ao ninho criado e protegido. Não aceitaria perder, mesmo que isso custasse a vida de alguém.

Para a platéia, eram crianças a brincar de prova de amor. Conversas infantis, diálogos vazios. Um impasse que não seria resolvido ali. Um namoro inocente desfeito, e um sentimento de posse descontrolado.

A história tomava o mundo... E todos acreditavam que tudo seria readaptado à felicidade.










No ato final, um tiro de Romeu. E, ao contrário do que todos esperavam, a Julieta não fingiria.
Pela sua mão, o disparo certeiro que a separaria dele para sempre...

11 comentários:

Paulo Tomás Neves disse...

Excelente regresso e com a pena bem apurada.
Bom Domingo

Ela disse...

Primeiro dizer que é maravilhoso recebê-la de volta!

A expressão máxima de uma trágica história esta.


Não desapareça mais daqui, você faz falta!

Dama de Cinzas disse...

Infelizmente, como nesse caso, alguns buscam viver a obra de uma forma deturpada, sem o consentimento de ambos... É pra refletir... Belo texto!

Beijocas

Lord of Erewhon disse...

Todos buscam viver uma obra de Shakespeare...??

Não acredite nisso - o palco da vida de hoje é demasiado estreito.

São disse...

Bem regressada seja, linda!

Espero o prazer de a encontrar na civilização maia(primeira postagem), no SÃO.

Um abraço.

Oris disse...

A história repete-se, mas de maneira tão cruel....Pobre menina, que nem teve tempo para crescer...

Estive um pouco ausente, mas voltarei porque gosto da tua maneira de escrever.

Beijitos

O Árabe disse...

Na vida real, como na ficção, o egoísmo e a intolerância sempre resultam em tragédia. Ainda que travestidos de amor... :(

O Árabe disse...

Eu tinha certeza de já haver comentado este post! Mas repito: são tristes os crimes que a frustração e o egoísmo cometem em nome do amor... :( Boa semana, amiga.

jo ra tone disse...

É necessário saber meter-se na pele destes dois personagens para se viver verdadeiramente um grande amores
Bom regresso
Beijinhodaqui

Adri disse...

Infelizmente um romance trágico...

Ela disse...

Eu sou sonhadora... sim, prefiro histórias com final feliz!