sábado, 27 de junho de 2009

NÃO QUERO QUE VOLTE...


O passado não é nosso amigo.

Ele nem sempre vem querendo nosso bem, incentivando-nos a continuar. Às vezes é cruel por não nos dizer somente a verdade.

Por saber tanto sobre nós, ele nos trai. Remete-nos a tempos esquecidos, arquivados seguramente na memória. Mas como um feiticeiro que sabe a hora exata de lançar sua magia, ele revive experiências marcantes. Mostra-se sem que precisemos abrir suas gavetas, nos momentos mais frágeis de nossas inseguranças.

E onde permanece a mudança? Onde estaria o elo de separação do que vivemos para o que não viveríamos hoje? Como mostrar ao passado que precisamos seguir em frente?

Confrontar certezas vividas e caminhos descalços deveria ser menos cortante. A princípio, o passado teria a função de desculpar-se pela inexperiência. Mas, sentimentos não contam na conjugação do verbo. Permanecemos sempre em suas mãos, como que a esperar por um esquecimento- baú.

Ele sabe mais de nós do que nós mesmos...

14 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Existe um passado recente que estou fazendo um trabalho intenso de esquecimento... Porque a gente tende a ficar recordando as partes boas de certos passados e esquecemos as ruins... Aí é que mora o perigo...rs

Beijocas

Ricardo Arias disse...

Fermosísima primeira linha: o passado nao é nosso amigo.
Aí fica tudo dito.
Noraboa polo texto.

João Videira Santos disse...

"...sentimentos não contam na conjugação do verbo. Permanecemos sempre em suas mãos, como que a esperar por um esquecimento..." - LINDO!

O Profeta disse...

Uma paixão desapaixonada
Uma razão desencontrada
Uma palavra vazia de sentido
Uma inquietação gerada do nada

A calmaria é o fim da tempestade
Ou será o princípio da tormenta?!
As velas recolhem o vento
Minha alma acolhe o que o coração inventa


Boa semana



Doce beijo

. fina flor . disse...

é, quando o passado não é amigo é melhor deixá-lo para trás, mesmo....

beijos, querida

MM.

Denise disse...

Triste......mas é do passado que fazemos lembranças para poder aprender.

Lindo tudo aqui

Denise

Ela disse...

Eu olho para ele as vezes, e sinto saudade!

She walks on me disse...

como muitos dizem... o passado nos condena.

jo ra tone disse...

O raio da imagem assusta
Por vezes temos que por uma pedra sobe o passado e viver o presente
beijo

Éverton Vidal disse...

O texto já chama nossa atençao na primeira linha.
"O passado nao é nosso amigo". E depois vem um dos melhores textos sobre o passado que já li na blogosfera, mostrando-nos uma nova perspectiva.

Inté!

O Profeta disse...

Ao meu querer!
Dias noites, estações esquecidas
Inventei sonhos para sonhar
Lavei mágoas, dores perdidas

Uma árvore toca as águas da lagoa
O nevoeiro faz desenhos nas cumeeiras
Um Melro negro solta um pio ao acaso
A palavra quero-te diz-se de mil maneiras


Convido-te a ver a Cor da Claridade


Doce beijo

Madrigal disse...

O passado condiciona-nos, na medida em que aquilo que somos hoje é fruto inequívoco dos nossos trajectos passados. Não vale a pena tentar cortar por completo com as amarras do pretérito, porque ele vive dentro de nós e asperge as nossas atitudes presentes sem que, por vezes, disso demos conta.Tentar fazer tábua rasa do passado é uma quimera. Temos de viver com as memórias, boas e más, e procurar que o presente seja melhor (aprender com os erros?) - quantas vezes não é a ansiedade e a incapacidade de nos termos a nós mesmos, que faz com que nos atiremos de cabeça para relacionamentos de escancarada infelicidade? Por mim falo...

O Profeta disse...

Este mar de fresco azul
Estas pedras sentinelas constantes
Estas ondas que adormecem nelas
Vieram do mundo em formas navegantes

O amargo das uvas verdes
Cede ao sorriso do astro rei
O doce invade os sentidos
E a ternura impõe a sua lei


Boa semana


Mágico beijo

EuEle disse...

Perto de vc serei sempre um cego.
Lindo
bjs.